InovaçãoInsurtechsTransformação Digital

Transformação digital: insurtechs e seguradoras aceleram inovação

Diante do isolamento social, provocado pela pandemia, seguradoras e insurtechs aceleraram o ritmo da transformação digital. Com a queda na procura por seguros viagem e da alta na demanda de seguros saúde e de vida, as companhias criaram novas iniciativas e ferramentas. 

O fato é que as limitações e impactos gerados pela pandemia serviram, para o setor de seguros, como um gatilho para a digitalização dos serviços e pela melhor experiência do cliente. 

Neste novo contexto, tudo foi planejado para atender o cliente em plataformas digitais, driblando a falta de contato físico.

Embora ainda existam muitas incertezas sobre o futuro da indústria de seguradoras, é certo que todas sairão da pandemia mais digitalizadas, criativas e com produtos desenvolvidos para atender antigas e novas demandas. 

Neste post, apresentamos as principais informações sobre a transformação digital no setor e as iniciativas das insurtechs e seguradoras durante a pandemia.

Continue lendo  o artigo! 

Transformação digital no setor de seguros: produtos em alta e em queda em 2020 

No contexto da pandemia, uma das lições aprendidas por muitas pessoas é a importância de cultivar um espírito preventivo. O cliente passou a ver o seguro como um suavizador de perdas e o primeiro impacto foi o aumento de demanda.

A Bidu Seguros, por exemplo, registrou um aumento de 150% na procura pela cobertura de seguros de vida. Sabendo da tendência, a empresa ThinkSeg já desenvolveu um novo produto do gênero no modelo de pagamento pelo uso. Ou seja, o cliente avalia quando vale a pena deixar o seguro “ligado” ou não. 

Por exemplo, neste modelo, se o cliente souber que vai passar uma semana sem sair de casa, ele pode “desligar” a cobertura durante esse período. Assim, ele economiza no valor final do seguro.

A MAG Seguros também registrou aumento na procura por seguro de vida. Segundo a empresa, o volume de contratação desse tipo de proteção cresceu 31,4% no primeiro trimestre de 2020, comparado ao mesmo período de 2019. É claro que os canais digitais contribuíram para que a seguradora tivesse condições de absorver a nova demanda.

Se por um lado a pandemia despertou nos consumidores o interesse pela adesão de seguros de vida, por outro o isolamento social derrubou as vendas das coberturas para veículos.

Dados divulgados pela TEX Tecnologia indicaram um recuo de 60% na contratação de novos seguros de veículos. Além disso, pesquisa realizada em parceria com a Smartia apontou também uma variação nos preços deste tipo de apólice. 

Somente no início da pandemia, de acordo com a Quatro Rodas, a queda na venda de automóveis zero quilômetro chegou a 90%. No marketplace da ThinkSeg, a comercialização do seguro auto tradicional caiu quase 50%.

Além da queda na comercialização de seguros auto, um dos principais impactos sentidos pelo mercado de seguros no Brasil e no mundo foi a queda da contratação de seguros viagem. 

A importância de digitalizar o negócio, para evitar impactos negativos 

Ainda que seja algo pontual, essa queda na venda de alguns serviços deixou as seguradoras em alerta. Com isso, muitas delas buscaram soluções para melhorar a experiência dos clientes e tornar os processos acessíveis durante a pandemia. 

Uma das principais iniciativas adotadas é a ferramenta de avaliação por meio de fotos. Ela dispensa a necessidade da avaliação presencial de um representante da seguradora. 

As vistorias on-line têm sido essenciais para manter o fluxo de renovação de apólices de veículos e para a venda de seguros residenciais. Diversas companhias como SulAmérica, Porto Seguro, HDI Seguros, AXA, entre outras, aderiram a essa solução.

Outra preocupação das seguradoras é com a saúde dos seus colaboradores, visto que boa parte deles normalmente executa um trabalho presencial. A transformação digital do setor também é capaz de cobrir esta demanda. 

A MAG Seguros, por exemplo, criou a ferramenta “Venda Digital”. A plataforma viabilizou o home office  e a comercialização do portfólio de forma 100% digital e remota.

A estratégia de transformação digital também conecta potenciais clientes e seguradoras. Para apoiar o ecossistema de seguros, a Planetun, por exemplo, liberou gratuitamente, pelo período de 30 dias, o acesso aos aplicativos de vistoria remota. Assim, seguradoras que têm a ferramenta tiveram a chance de manter conexão com seus clientes. 

Transformação digital: insurtechs que estão fazendo a diferença 

Como vimos até aqui, a criatividade, a inovação e as ferramentas disruptivas estão sendo fundamentais para viabilizar a transformação digital do mercado segurador.

Além das iniciativas já citadas, mapeamos outras ações que têm sido empreendidas por insurtechs e seguradoras. Confira!

O2OBOTS 

A O2OBOTS é considerada uma das pioneiras na transformação digital do setor de seguros do País. A startup detém uma das principais plataformas para que seguradoras possam operar seus serviços e atrair potenciais clientes. 

Baseada em inteligência artificial, a solução melhora a experiência dos clientes e beneficia as seguradoras. Isso porque facilita a adesão de seguros de forma on-line, por meio de aplicativos como o WhatsApp e o Messenger

A solução foi desenvolvida para empoderar canais de distribuição de seguros e dar comodidade a quem pretende contratar uma proteção. Afinal, dessa maneira, a jornada de compra se torna mais rápida e descomplicada.

AXA 

A AXA Corretora, um dos maiores grupos seguradores do mundo, definiu que seu objetivo para 2020 era manter o foco em negócios rentáveis. Por isso, começou a transformar processos, produtos e serviços para atender às expectativas dos seus clientes. 

Em abril, a seguradora lançou os serviços “Condomínio” e “Empresa Flex” que facilitam a regulação de sinistros dos seguros. Com isso, o cliente utiliza a câmera do próprio celular para transmitir imagens ao vivo. A vistoria remota foi uma das ações desenhadas pela seguradora para viabilizar a operação na pandemia. 

Tractable 

Desde o início da pandemia, a americana Tractable, especializada em diagnósticos por imagem, tem sido procurada pelas maiores seguradoras do mundo. 

A empresa explora um sistema de inteligência artificial para analisar e avaliar, em segundos, o grau de danos em uma colisão de carros, o custo do reparo e até mesmo encaminhar o usuário para a oficina mais próxima. 

A Tractable ocupa o 5º lugar na Insurtech100 2020, a lista das cem principais insurtechs do mundo.

Banco Inter 

O Banco Inter adotou a inteligência artificial para analisar o nível de proteção necessária para cada cliente.  As ofertas são personalizadas a partir da análise de comportamento do segurado e a contratação pode ser feita pelo celular ou pelo computador. 

A plataforma Proteção, por exemplo, tem um amplo portfólio de produtos, como seguros de vida, residencial, cartão de crédito, odontológico, automóvel, viagem e saúde.

Planetun 

A insurtech brasileira Planetun, especializada em soluções para vistorias remotas por vídeo, viu sua receita crescer 111% no primeiro trimestre de 2020, comparada ao mesmo período de 2019. 

Isso porque a pandemia e o isolamento social impulsionaram a demanda por suas ferramentas. A televistoria fornecida pela insurtech permite fazer as análises de sinistros ao vivo e a distância. A solução atende diversos ramos de seguro, sendo os principais: automotivo, residencial, vida e previdência, náutico e patrimonial.

Quer saber mais sobre o movimento de transformação digital no setor de seguros? Continue acompanhando o Trends!