Open SourceInovaçãoAPISeguros

Tecnologia para seguros: open source e APIs são tendências

Na era da transformação digital, cada vez mais, empresas e profissionais se veem diante do desafio de acompanhar tendências, se apropriar de tecnologias, ofertar novos serviços e fazer diferente. Inovar é palavra de ordem neste momento marcado por tantas mudanças e influências. Tal regra vale para qualquer área, inclusive para a tecnologia da informação e o mercado de seguros.

Neste contexto, os novos modelos de negócios trazem oportunidades para os desenvolvedores. De acordo com relatório Fast 50 Report, produzido pela plataforma Freelancer.com (link em inglês), os empregos relacionados ao desenvolvimento web em API dispararam em 2018, com um aumento de 352,4%. Foram geradas 4,6 mil vagas somente no último ano.

Enquanto isso, projetos em outras áreas registraram uma queda significativa. O número de vagas para desenvolvimento de software diminuiu 70,7%: foram 9.212 empregos em 2018 e 31 mil oportunidades em 2017. As categorias de app designer e desenvolvedor de aplicativos também experimentaram retração: de 70,7% e 66,1%, respectivamente.

Os números confirmam: a tecnologia avança a passos largos e muda a lógica do mercado. Por isso, é fundamental que você, desenvolvedor, se atualize e busque novas oportunidades. A hora é agora!

Quer saber como se posicionar e se destacar nesse novo momento? Entenda, a seguir, como a transformação digital impulsiona a proposta dos modelos de negócio abertos e aprenda a visualizar possibilidades de atuação neste contexto. Boa leitura!

 #1 Como o mercado vem se transformando?

Os modelos de negócio abertos trazem uma série de novas possibilidades e vantagens para empresas, profissionais e clientes. Com o uso de software open source, por exemplo, é possível obter uma série de benefícios como:

  • Mais confiabilidade;
  • Maior interoperabilidade;
  • Fontes de suporte mais extensas;
  • Liberdade de personalização;
  • Redução de Custo Total de Propriedade (TCO).

Neste cenário, o desenvolvimento de software de código aberto têm sido amplamente facilitado pelo uso de APIs. E sabe o que é melhor? Elas simplificam muito e otimizam o trabalho dos profissionais. De que maneira? Permitindo que desenvolvedores chamem uma API para consumir os serviços de um fornecedor em vez de incorporar o produto dele em uma aplicação.

O trabalho se torna muito mais simples. Isso porque os desenvolvedores só precisam saber o que o aplicativo de integração do fornecedor espera do código produzido e vice-versa. Ou seja, não há necessidade de se preocupar com testes ou disponibilidade e reduz a complexidade do código em questão.

#2 Qual a contribuição da API para o modelo open source?

O conceito de open source trouxe para o mercado de tecnologia uma nova filosofia, ampliando seu potencial. Das comunidades acadêmicas até as gigantes IBM e Microsoft: todas, em alguma medida, já usam o modelo.

Ademais, o crescimento e o uso das ferramentas de integração vêm se tornando importantes para esse tipo de sistema por uma série de razões diferentes. Os aplicativos de integração:  

  • Permitem a construção de um software mais escalável e mais conectado;
  • Fornecem suporte para que empresas e desenvolvedores lidem com a complexidade do mercado.
  • Fomentam e aceleram o ritmo da inovação.

Enquanto as APIs trazem essas vantagens, um software mantém uma estrutura com requisitos mais rígidos. No desenvolvimento de sistemas é preciso, por exemplo, fazer conexão a mais tipos de aplicativos e escalonamento para suportar maiores demandas. Ou seja, um processo muito mais exigente.

Logo, a API é a melhor maneira de propiciar a interação entre dois ou mais serviços.

Com o uso desse tipo de integração na tecnologia para seguros, os desenvolvedores têm condições de incorporar APIs de alto desempenho em seus projetos para se concentrar na criação e oferta de serviços de valor agregado.

#3 Modelos de negócios abertos trazem novas oportunidades

Há pouco tempo atrás, o conceito de open source ainda era ligado a questões como falta de segurança e registro frequente de bugs. Contudo, atualmente, o código aberto sustenta algumas das principais inovações do mercado, como a inteligência artificial de grandes empresas a exemplo de Google, IBM, Intel e Netflix.

Contudo, mais importante do que a adoção dessas tecnologias pelas companhias, é a maneira como a comunidade engajada de desenvolvedores contribui para a construção de novas funcionalidades e ferramentas. Com a participação deles, cada vez mais, é possível solucionar problemas complexos em código aberto.

Isso porque os profissionais da área criam soluções juntos, em um processo colaborativo que leva ao aprendizado e à inovação. Sem a participação dos desenvolvedores, codificadores e cientistas de dados, seria impossível investir em novas soluções alinhadas às necessidades dos usuários e das seguradoras.

Para o mercado de seguros evoluir, os profissionais de TI estão focando esforços nas estratégias mais inteligentes e viáveis, visando incentivar o crescimento do setor impulsionado pela tecnologia.

#4 Plataformas open source transformam o mercado de seguros

Diante da possibilidade de usar o modelo open source para oferecer serviços inovadores, seguradoras e corretoras vêm investindo em projetos modernos e ousados. Eles trazem uma série de benefícios para os segurados e oportunidades para os desenvolvedores. 

Mundo afora, seguradoras tradicionais, como a Allianz, e outras mais jovens como a Lemonade mostram que o melhor caminho é adaptar-se, priorizando as inovações digitais e a oferta de serviços com alta tecnologia e valor agregado aos clientes.

A Allianz desenvolveu uma plataforma que congrega vários negócios e serviços. O Allianz Business System (ABS) (link em inglês) é um sistema capaz de lidar com os desafios da digitalização e da privacidade de dados em qualquer linha de negócios de seguros.

Seguindo a tendência do open source, desde 2018, a seguradora disponibiliza, gratuitamente, o sistema como uma solução de plataforma de código aberto para outras companhias de seguros.

A estratégia visa incentivar a construção de um ecossistema de seguros. Ou seja, um ambiente que conecta parceiros e agrega valor aos clientes e ao mercado.

Na prática, a plataforma funciona quase uma loja de aplicativos na qual outras empresas podem oferecer serviços simples, como digitalização e impressão, até outros mais complexos.

A Allianz oferece a infraestrutura da plataforma para permitir as trocas. Dessa maneira, a seguradora cria uma rede que beneficia todo o setor: clientes, seguradoras e desenvolvedores crescem com a plataforma de negócios aberta.

Esse é um dos cases de sucesso de modelos open source que vêm revolucionando a tecnologia para seguros e impulsionando o desenvolvimento do mercado.

Quer acompanhar esse movimento de transformação digital? Confira os conteúdos do Trends.