Inovação

Saúde mental: como manter o equilíbrio durante a pandemia?

A pandemia tem mostrado uma nova preocupação global e ela não tem nada a ver com a transmissão do novo coronavírus: a saúde mental. A ONU já fala em crise global de doenças mentais - e isso é muito sério.

Ocasionadas pelas mudanças repentinas que a população ao redor do mundo teve que se adaptar de uma hora para outra, os sintomas são muitos: insônia, mudanças de humor, síndrome de burnout, ansiedade e depressão, entre outros. E todos eles não afetam apenas o próprio indivíduo, mas também seus familiares e até a produtividade no trabalho. 

Com os diversos cenários que acabam contribuindo para o aumento das doenças mentais, empresas da área da saúde e health techs estão criando iniciativas para ajudar a sociedade a conviver com estes novos desafios e apoiar os indivíduos a buscarem mais equilíbrio mental em todas as esferas da vida. 

E é sobre estes assuntos que nós abordaremos durante este post. Acompanhe!

Impactos da pandemia na saúde mental

Foram muitas mudanças num curto período de tempo: home office ou o perigo da doença, isolamento social, perdas financeiras e de entes queridos, notícias desanimadoras nos meios de comunicação… Tudo isso contribui para o aumento do estresse na sociedade, que precisa encontrar resiliência e estratégias para manter a saúde mental

Além disso, para muitas pessoas que foram obrigadas a executar o home office, a jornada de trabalho se tornou infinita porque precisou ser dividida em novas responsabilidades distintas, como aula on-line dos filhos, tarefas do lar e cuidados com familiares, entre outros.

Nos primeiros meses de pandemia, foi possível levar esta nova rotina com mais resiliência. Contudo, o tempo foi passando e as coisas parecem iguais. O Brasil, que mais de um ano após o início da pandemia ainda encara um número elevado de mortes diárias, mostrou um aumento de 90% em relação aos casos de depressão, e 80% de pessoas com sintomas de ansiedade.  

Além disso, o fato de ter que executar todas as atividades corporativas de dentro de casa somado às medidas de isolamento social obrigou grande parte da população a mudar radicalmente suas rotinas e estilo de vida. 

Quem praticava exercícios físicos, fazia cursos ou levava uma vida agitada foi obrigado a passar 24h por dia dentro do mesmo ambiente. E tanto a ociosidade quanto a sobrecarga de tarefas acaba levando a uma má alimentação e ansiedade, o que também resulta numa piora da saúde mental e física.  

Em outras palavras, é um ciclo vicioso no qual todas as situações contribuem para o comprometimento da qualidade de vida e que acaba impactando também na produtividade no trabalho.

O papel das empresas na saúde mental dos colaboradores

É claro que uma pandemia sem precedentes e todos os impactos negativos que acabam recaindo sobre os colaboradores das empresas não são responsabilidade de líderes e gestores. Mas a saúde mental em desequilíbrio acaba impactando de forma negativa no ambiente corporativo, seja em relação à produtividade, qualidade das entregas ou até mesmo absenteísmo, desânimo e falta de motivação.

De acordo com esta reportagem da Veja

  • 70% dos entrevistados afirmaram estar preocupados com a possibilidade de sofrer cortes de salário ou perder direitos trabalhistas;
  • 70% estão com medo do desemprego e da segurança dos amigos e familiares;
  • 47% afirmam que têm dificuldade para relaxar, enquanto 23% não conseguem dormir bem.

Todos estes desafios acabam comprometendo a produtividade e a qualidade de trabalho dos colaboradores. A empresa, para diminuir estes problemas e tentar ajudar seus funcionários a manter a resiliência por mais algum tempo, pode tomar certas medidas. 

Manter a transparência sobre a saúde financeira da empresa e sobre que estratégias de controle de gastos e orçamentos serão tomadas é fundamental. Dessa forma, os colaboradores não precisam viver na insegurança de serem demitidos ou terem benefícios cortados de uma hora para outra.

Além disso, dar dicas de técnicas de relaxamento, meditação e até mesmo atividades físicas para serem feitas dentro de casa é uma outra maneira de contribuir para a saúde mental

Para aqueles casos mais graves, em que os sintomas de depressão, ansiedade e outros transtornos mentais são claros, é possível buscar soluções e profissionais que possam agir de forma mais específica e direcionada.

Como identificar problemas na saúde mental

São muitos os sintomas que demonstram desequilíbrio mental, porém a pessoa deve mostrá-los por mais de duas semanas seguidas para que um profissional possa fazer o diagnóstico. São eles:

  • Problemas com álcool ou drogas;
  • Paranoia ou preocupação excessiva;
  • Insônia;
  • Mudanças bruscas de humor, que podem variar entre raiva, hostilidade ou violência;
  • Tristeza e estresse que duram muitos dias seguidos;
  • Capacidade reduzida de concentração.

Fonte: Amil Cuidado Certo

Exemplos de iniciativas de saúde mental

Para ajudar a combater os desafios mentais potencializados pela pandemia, muitas seguradoras e empresas de healthcare criaram soluções e programas de valorização da saúde mental.

Acompanhe 2 delas a seguir: 

Amil Cuidado Certo

A companhia aprimorou seu programa de saúde mental lançando um mais completo, o Amil Cuidado Certo. Neste programa, a Amil publica vídeos falando sobre os diferentes sintomas e doenças mentais, períodos da vida em que a saúde mental é mais propícia a passar por um desequilíbrio (e o cenário pandêmico é um exemplo), quais profissionais podem ajudar e inclusive oferece telemedicina. Esta última opção faz um diagnóstico rápido sobre o paciente e encaminha para um psicólogo que fará o atendimento inicial e encaminhará para a ajuda presencial quando necessário.

Saúde Mental Einstein

O programa de saúde mental do Hospital Israelita Albert Einstein também publica materiais que abordam os transtornos e doenças mentais e o preconceito que existe em relação ao tema até hoje. Além disso, ainda dá dicas de práticas que podem ajudar no equilíbrio da saúde mental e oferece uma solução exclusiva para o ambiente corporativo, com treinamentos on-line ou in company, rodas de conversa e telemedicina, entre outros.

Como pudemos ver, a saúde mental rege todos os aspectos da vida do ser humano e deve ser levada a sério. A boa notícia é que existem muitas empresas e profissionais que podem ajudar conhecidos e colaboradores a retomar o equilíbrio e viver com mais qualidade de vida.

Continue lendo os Trends da GR1D para mais conteúdos atuais!