AISeguros

Inteligência artificial: seguradoras melhoram gestão de riscos

Com a evolução da tecnologia no mercado de seguros, uma série de novas possibilidades têm sido exploradas. Cada vez mais, as companhias criam soluções e geram oportunidades e vantagens competitivas a partir do uso inteligente de ferramentas disruptivas como Big Data e Internet das Coisas (IoT)

Neste cenário, outra tecnologia que desponta com alto potencial e aplicabilidade no setor de seguros é a Inteligência Artificial (IA). Para o gerenciamento de riscos, especialmente, a IA deve se tornar a base de novos projetos e estratégias. Isso porque irá otimizar os recursos, facilitar a previsão de riscos e permitir a entrega de valor agregado ao cliente.

Neste post, vamos abordar de que maneira a Inteligência Artificial vai influenciar o gerenciamento de riscos dentro das seguradoras.

Avance na leitura do artigo!

Inteligência Artificial aplicada ao gerenciamento de riscos

Como tem potencial para processar grandes volumes de dados, a inteligência artificial tem tudo para se tornar uma excelente ferramenta de gerenciamento de riscos no setor de seguros.

Dentre outros ganhos, o uso da IA aplicada a este tipo de estratégia deve permitir:

  • Mensuração mais precisa dos riscos e compreensão mais apurada sobre eles;
  • Redução de tempo dedicado às tarefas repetitivas;
  • Aprimoramento dos processos de gerenciamento de riscos com o uso de dispositivos conectados (IoT)

Na prática, a IA pode ser usada para aprimorar o processamento de dados estruturados e não estruturados.

Os dados estruturados incluem informações encontradas em bancos de dados e planilhas de gerenciamento de riscos. Já os dados não estruturados são imagens, arquivos de texto e e-mails. Ou seja, informações que geralmente não são processados ​​pelos gerentes de riscos.

Muitas seguradoras já estão implementando a IA. Contudo, é fundamental que os gerentes de risco estejam cientes dos riscos e da responsabilidades que a tecnologia cria.

O desafio é capturar o que há dentro da IA tanto em termos de riscos quanto de oportunidade, consolidando-a como uma ferramenta segura e eficaz para o gerente de riscos.

Gerenciamento de riscos com tomada de decisão assertiva e precisa 

Dentro da estratégia de gerenciamento de riscos nas seguradoras, a Inteligência Artificial pode ser usada para procurar padrões em grandes quantidades de dados e determinar o valor de ativos críticos, por exemplo.

Outra possibilidade é usar a tecnologia para analisar dados de reclamações e tirar conclusões. Desse modo, é possível identificar se os modelos de subscrição ou de gerenciamento de riscos estão funcionando de maneira eficaz.

Sem dúvida, o mapeamento de possíveis dificuldades e lacunas irá contribuir para prevenir reclamações, aumentando a satisfação do cliente e a taxa de retenção. 

Além disso, a IA também pode ser usada para aumentar a eficiência e gerenciar a complexidade de modo mais ágil e assertivo. 

À medida que a transformação digital avança, os conjuntos de dados tendem a ser cada vez mais volumosos. Portanto, ter a ferramenta ideal para gerenciar essa realidade complexa deve facilitar muito a condução dos processos. 

A IA permitirá fazer correlações de diferentes riscos que os seres humanos não são capazes de executar. Com isso, as tomadas de decisões também devem se tornar mais embasadas e rápidas. 

Hoje, o foco está muito voltado para a operação, mas o setor de seguros já dispõe de tecnologia e dados para voltar a atenção para o gerenciamento de riscos. Os dados estão disponíveis. Os gerentes precisam pensar em como aproveitar esses dados para fazer uma gestão de riscos mais inteligente e estratégica.

Inteligência artificial como facilitadora do monitoramento de mercadorias

A seguradora Axa XL já vem explorando a IA aliada à IoT na sua estratégia de transformação digital. O objetivo é melhorar a eficiência operacional da companhia em vários setores.

Visando garantir a segurança das mercadorias dos seus clientes, a AXA implantou um projeto para o monitoramento de cargas.

Com sensores instalados nos contêineres de transporte de um segurado de transporte, a companhia reduziu sua taxa de perda de 180% para 80%, assegurando a entrega  dos produtos na condição inicial.

O processo de gerenciamento de riscos foi viabilidade pelos sensores. Uma vez instalados na carga, eles permitiram a medição dos níveis de temperatura, umidade, luz e choque. Com isso, os gerentes de risco recebem os dados sobre o que acontece com a carga sensível durante o transporte.

Além de permitir o monitoramento, a análise dos dados é igualmente importante. É possível, por exemplo, identificar como a carga se comporta de acordo com a perspectiva sazonal ou quando é manuseada por um provedor de logística individual.

Como se vê, aliar uma estratégia de IA à experiência dos gerentes de riscos pode trazer muitos ganhos para as companhias. 

Quer saber mais sobre a transformação digital no mercado segurador? Continue acompanhando o Trends.