InovaçãoSegurosInsurtechsTransformação Digital

Insurtechs: como atrair novos investimentos?

Com a transformação digital e a digitalização dos negócios, o mercado segurador não para de crescer e se reinventar. Os produtos e serviços inovadores das insurtechs atraem cada vez mais clientes especialmente pela disponibilidade e pela comodidade proporcionada ao usuário. Afinal, é possível contratar um seguro na palma da mão, com apenas alguns cliques. Para acioná-lo, quando preciso, a mesma facilidade é garantida. 

Por essas e outras razões, as insurtechs vêm crescendo exponencialmente, com o apoio de investidores. De acordo com o relatório InsurTech Outlook 2017, em sete anos o investimento total nas insurtechs acumula mais de US$ 9,2 bilhões. Somente no último trimestre de 2018, foram fechados 63 acordos de investimentos, somando US$ 1,58 bilhão, segundo relatório da Willis Towers Watson. 

São vários os cases de sucesso das insurtechs. A Jooycar, insurtech de seguros do Chile, recebeu no ano passado um investimento de US$ 3 milhões da HCS Capital Partners. Já em 2019, a austríaca Bsurance obteve aporte financeiro de 17 milhões de reais. Quem também se destaca por atrair novos investidores é a Hippo, que já soma US$ 39 milhões em recursos recebidos desde sua fundação, em 2015. 

Com tantas histórias de sucesso na digitalização dos negócios no mercado segurador, a dúvida é: como obter aportes? De que maneira é possível atrair e conquistar investidores, potencializando o crescimento da insurtech?    

Continue lendo esse artigo e descubra a resposta. Boa leitura!

1. Busque investidores com perfil alinhado à proposta da insurtech

Muito além do dinheiro, a experiência do investidor também é importante. Por isso, é importante escolher a dedo os investidores para a empresa. É fundamental buscar investidores-chave que acreditem, de verdade, no projeto, empregando, inclusive as próprias competências no negócio. 

Além disso, lembre-se que selar um acordo com um investidor requer afinidade e confiança. Portanto, o ideal é buscar ter como parceiras pessoas alinhadas aos objetivos da insurtech. Desse modo, sua visão será muito mais apurada e estratégica, contribuindo, de fato, para o desenvolvimento do negócio. 

2. Mostre o que você tem a oferecer ao investidor

Diante do potencial investidor, o desafio é apresentar a ele o que a empresa é capaz de fazer e entregar. É fundamental, portanto, pensar em como comprovar a viabilidade do seu negócio. Uma maneira inteligente mostrar potencial e capacidade técnica é fazer testes para o investidor conferir, se possível, em tempo real. Os resultados impressionam e mostram que a insurtech está pronta para crescer e dar escala para o negócio. 

Neste momento, lembre-se que mais do que uma ideia, os investidores se interessam pela história e pela equipe que faz acontecer. Esse é um dos principais aspectos: os profissionais da insurtech precisam demonstrar que possuem as habilidades, o conhecimento e a experiência necessárias para executar cada etapa do plano de negócios. 

Portanto, invista em uma equipe com múltiplas habilidades e competências, que esteja comprometida com o propósito da insurtech. Certamente, esse é um diferencial avaliado pelos investidores. 

3. Crie um ‘pitch’ atrativo

Mesmo tendo vários atributos, eles podem ser insuficientes se a insurtech não conseguir vender a ideia. A questão é: como apresentar a proposta em um formato persuasivo e eficaz? De que maneira é possível atrair um investidor-anjo para acelerar o crescimento do negócio?

Um dos recursos que você pode e deve usar é o pitch. Também conhecido como discurso de venda, um pitch é um formato objetivo de apresentação da solução. Nele devem ser incluídos todos os critérios que os investidores avaliam na hora da tomada de decisão sobre o investimento. 

Um pitch bem elaborado deve dar segurança aos potenciais investidores. Por isso, é preciso apresentar a proposta do negócio e, além disso, uma previsão de retorno sobre a aplicação e o crescimento da empresa.

Na hora de elaborar o pitch, considere as dicas elencadas abaixo. Ao segui-las, é possível oferecer muito mais confiança ao investidor. 


  • Inclua o plano de negócio, detalhando cada uma das fases previstas;
  • Fazer projeções é importantíssimo. As previsões de receita devem fazer referência aos próximos 24 meses e os demais números, como aquisição de clientes, reinvestimentos, despesas para 60 meses. 
  • Apresente as ideias com coesão e clareza, sendo o mais objetivo possível;
  • Seja cauteloso ao incluir previsões financeiras e de mercado. Por mais que sua equipe faça um trabalho incrível, elas dependem também de fatores externos para se confirmar. 
  • Planeje uma apresentação curta, que varie entre 3 e 5 minutos.

Lembre-se: é considerando esses e outros critérios que o investidor tem condições de analisar o potencial de crescimento da insurtech.

4. Defina o valor do aporte

Pode parecer óbvio, mas não é. Quando as empresas pensam na digitalização dos negócios e começam a buscar investidores, muitas delas não têm um destino certo para o recurso que está sendo pleiteado. 

Contudo, para quem vai apostar na insurtech, essa clareza sobre o uso do aporte financeiro é indispensável. Afinal, esse não é um dinheiro para ser gasto com diferentes finalidades. Ele precisa ter um objetivo bem definido e gerar retorno à pessoa ou fundo que aportou e crescimento para a insurtech.

Por isso, é fundamental que você demonstre no pitch o que será feito com o valor do aporte e de que maneira isso irá potencializar o desenvolvimento do negócio.

Nesta construção, vale ser específico, informando quanto do aporte será direcionado a cada área, como marketing, produto, pesquisa e desenvolvimento. Do mesmo modo, é fundamental detalhar o retorno esperado, considerando métricas como custo de aquisição de clientes, por exemplo. 

5. Apresente seu projeto

É hora de encarar os investidores e levar seu projeto para sessões de open pitch. Normalmente, os meetups têm espaço na programação para este tipo de apresentação. 

Nesse momento, pense com a mente do investidor. Ele irá se perguntar:


  • A insurtech tem um diferencial claro em relação aos concorrentes?
  • Qual o seu potencial de inovação?
  • O mercado que este produto ou serviço aborda é grande suficiente para garantir retorno?

Atraiu um investidor e vai receber o aporte financeiro? Ótimo! Mas o trabalho não para aí. Agora você precisa manter um bom relacionamento com todos. É fundamental entregar relatórios que sejam capazes de mostrar o avanço do negócio. Além disso, lembre-se de se manter aberto para receber opiniões e contribuições. Com uma gestão colaborativa, certamente a insurtech vai crescer.

Quer conhecer novidades e tendências de transformação digital? Continue acompanhando o Trends.