FinanceFintechs

Como manter a procura por tecnologia para o sistema financeiro em 2021

Desde o início da pandemia, as instituições no setor financeiro puderam se beneficiar com o aumento no número de clientes em busca de seus produtos digitais. Conforme a economia volta a se reencontrar gradualmente, é hora de entender e definir como solidificar os ganhos dessa busca por tecnologia para o sistema financeiro em 2020.

Agora, a fidelização dos clientes nos canais digitais passa a depender muito de como as fintechs serão integradas às instituições financeiras. Será preciso promovê-las e apoiá-las estrategicamente, sem se esquecer de garantir uma excelente experiência de usuário.

E, nesse processo de impulsionar a tecnologia para o sistema financeiro, as equipes de relacionamento terão papel fundamental. Você consegue entender por quê? E como garantir que seus colaboradores realmente usem essa influência da melhor maneira? Confira neste artigo como eles podem ajudar a manter a euforia nos meios digitais!

Por que você deve olhar para sua equipe de relacionamento em 2021?

O grande poder das equipes de relacionamento no setor financeiro é que elas são responsáveis por fornecer diretamente os serviços para os clientes. Esses, por sua vez, passam a confiar e ver seus contatos com as instituições como o ponto estratégico para manter e ajudar na adoção de produtos digitais.

Por isso, as empresas devem garantir que seus colaboradores estejam preparados, confiantes e para promover e realizar os suportes necessários. Essa é uma maneira eficaz de manter o sucesso alcançado com a busca por tecnologia para o sistema financeiro.

Quem conseguir fornecer aos colaboradores o conhecimento adequado sobre os produtos e mantê-los integrados ao funcionamento das fintechs nas empresas terá vantagem competitiva. Porém, também é importante observar que há desafios e obstáculos a serem vencidos para manter os ganhos da transformação digital para 2021.

Desafios para a promoção da tecnologia para o sistema financeiro pela equipe

Há duas principais razões que podem impedir o colaborador na linha de relacionamento de promover o banco digital. Uma delas é a falta de treinamento, enquanto o segundo motivo é a falta de apoio no atendimento.

Falta de treinamento

Enquanto nem todos os funcionários utilizam de fato os serviços da instituição, isso torna mais difícil que eles entendam de fato como a fintech do empregador funciona. Dessa forma, fica igualmente complicado proporcionar um suporte adequado aos clientes que precisam entender como usar os produtos de tecnologia para o sistema financeiro.

Como consequência, eles tendem então a não recomendar esses tipos de serviços, tanto pela falta de conhecimento como pela falta de confiança para responder às dúvidas dos consumidores. Logo, a falta de treinamento para garantir o alinhamento entre os colaboradores e as fintechs é um grande inibidor para continuar a frente de expansão digital alavancada em 2020.

Falta de suporte

O colaborador também precisa ter o suporte adequado para proporcionar um atendimento de qualidade. Para isso, ele precisa tanto de ferramentas adequadas para o setor financeiro como do apoio de colegas e supervisores.

A grande questão é que, diante da tendência de mobilidade do trabalho home office, não só o acesso às ferramentas se torna comprometido, mas também o próprio contato com outros funcionários. Nem sempre colegas e gestores estarão disponíveis imediatamente para apoiá-lo.

Comece a treinar seus colaboradores para promover serviços digitais

Se a falta de treinamento atrapalha o engajamento do colaborador com a tecnologia para o sistema financeiro, então esse é um aspecto que precisa ser endereçado na instituição. Não adianta criar um sistema de treinamento sem um processo adequado de participação.

É necessário mudar os hábitos do colaborador, inserindo-o em um sistema de aprendizado contínuo. A estratégia para garantir que a equipe possa fazer um bom marketing dos produtos digitais precisa garantir 4 pontos, como veremos a seguir.

1. Rápido aprendizado do básico

Um aprendizado rápido é estratégico para que o colaborador comece a se sentir confiante com o produto do setor financeiro. Ele precisa conhecer pelo menos o básico para engajar o cliente à solução. Os tópicos mais importantes são o funcionamento e os benefícios para o consumidor.

Conhecimentos bancários podem ser chatos de aprender, mas uma dica para facilitar e acelerar a assimilação é utilizar técnicas com base em jogos. Você pode criar módulos sobre as características e os benefícios, permitindo o avanço de fases, ou até mesmo Hackathons. Dessa forma, o colaborador se sente mais motivado e se engaja no processo, aprendendo de verdade sobre tecnologia para o sistema financeiro.

2. Prática com uso dos produtos

Ninguém se sente confiante para recomendar algo que não entende, principalmente no setor financeiro. Por isso, promover o uso prático das soluções tem um verdadeiro impacto nas estratégias de aprendizado. Com o treinamento diretamente na solução, o colaborador consegue assimilar com mais eficácia seu uso.

O uso repetitivo das ferramentas de auxílio para a equipe é um passo importante no processo, porque aumenta a confiança e prepara sua equipe para se tornar mentora do cliente posteriormente. Funcionalidades automáticas também ajudam muito, como aquelas que contam com inteligência artificial e machine learning para se atualizar.

3. Incentivo prático da confiança para recomendar produtos

Se o conhecimento das características é o primeiro passo e o uso das ferramentas é o segundo, a sequência também implica uma aplicação na prática. O colaborador precisa ganhar confiança não só para utilizar as ferramentas, mas para recomendar uma tecnologia para o sistema financeiro.

É importante que ele saiba identificar como e quando indicar um produto digital durante o relacionamento com o cliente. Simular situações reais no treinamento ajuda a desenvolver as habilidades necessárias para reconhecer as oportunidades certas, pois se trata de um ambiente menos intimidador, em que é permitido errar e tentar novamente.

4. Acesso às ferramentas de suporte

Por fim, de nada adianta o funcionário ser bem treinado se não estiver munido das ferramentas adequadas de suporte na hora do atendimento. Eventualmente, ele precisará acessar um sistema financeiro para realizar simulações de serviços, entre outras necessidades para recomendar o produto.

Além disso, as oportunidades se tornam mais visíveis com o acesso ao cadastro do cliente, já que é possível identificar eventuais problemas que possam ser solucionados por uma tecnologia para o sistema financeiro.

Em tempos de home office, as plataformas também são importantes como ponto de contato com a equipe e com o gestor, promovendo o suporte à distância. Tecnologias como os chatbots também podem ajudar nas dúvidas.

Com esses 4 pontos, o aprendizado se torna mais rápido e pode ser mantido em uma constante, seja pela melhor interação entre os colaboradores, seja pelo uso constante das ferramentas e também pelo desenvolvimento das habilidades desenvolvidas em uma simulação.

Em 2021, as equipes de atendimento no setor financeiro precisam, mais do que nunca, estar alinhadas com os produtos digitais. A tecnologia para o sistema financeiro ganhou bastante relevância após a pandemia e, por isso, deve ter cada vez mais destaque nas estratégias de relacionamento.

Gostou das dicas apresentadas neste artigo? Então continue aqui no blog e confira mais conteúdos relevantes para os seus negócios!