Finance

Tecnologia é fundamental no combate às fraudes

A transformação digital impõe os mais diferentes desafios para organizações de todos os tipos: digitalização do negócio, oferecimento de comodidades aos clientes, construção de estratégias para reduzir custos e aumento da lucratividade são alguns deles. Neste sentido, uma das iniciativas indispensáveis é priorizar o combate à fraude

Até mesmo porque as seguradoras podem perder muito capital com os prejuízos derivados de golpes de todo tipo. Esse pode ser, inclusive, um custo já embutido no valor do seguro. Nos Estados Unidos, segundo o FBI, a fraude de seguros pode custar aos clientes de 400 a 700 dólares a mais por ano em seus prêmios de seguro. 

A boa notícia é que a tecnologia pode ajudar muito no combate à fraude. Com as novas soluções e ferramentas digitais, é possível, por exemplo, coletar e analisar dados que apontem situações fraudulentas. Estratégia e investimento são fundamentais, possibilitando a atuação na prevenção e protegendo tanto a empresa como os seus clientes.

Entenda mais sobre as fraudes, aprendendo a agir de maneira estratégica ao ler este post. 

A importância do combate à fraude 

Os dados revelam a dimensão do problema, e o custo dele é alto para todos os envolvidos. É preciso, o quanto antes, definir uma estratégia de combate à fraude. Neste contexto, o uso da tecnologia antifraude aparece como uma solução inteligente. Na corrida da transformação digital é necessário investir em ferramentas mais sofisticadas e robustas, usando-as como arma para combater o aumento dos níveis de fraude. 

As organizações que têm as tecnologias emergentes como aliadas têm mais chances de estarem à frente dos fraudadores, impedindo que eles consigam aplicar os golpes com sucesso. Dessa maneira, investir em prevenção é fundamental.

A Pesquisa Global sobre Fraudes e Crimes Econômicos 2020, da PwC, revelou que 47% das empresas participantes foram vítimas de fraudes nos 24 meses anteriores ao estudo. 

E o Brasil ocupa o segundo lugar no ranking de fraudes no comércio virtual na América Latina, atrás apenas do México, segundo um levantamento feito pela Visa

O estudo realizado pela Visa revelou que, das transações fraudulentas mapeadas, 42% tiveram invasão de conta ou roubo de identidade. Esses casos são quando os fraudadores procuram informações de algumas pessoas específicas e vão atrás dos bancos se passando por esses correntistas.

Já uma pesquisa realizada pela empresa de antifraude para e-commerces e pagamentos digitais Konduto apurou que a taxa de tentativas de golpes no comércio eletrônico brasileiro foi de 3,49% no primeiro semestre de 2020, tendo aumentado durante a pandemia da Covid-19.

5 tendências de falhas de segurança em 2021

O crescente uso de canais digitais, sobretudo em meio ao período de pandemia, tem aumentado a preocupação com a segurança de dados. Muitos golpes, falhas de segurança, fraudes e vazamentos aconteceram no último ano e a tendência é que continuem acontecendo em 2021. Uma forma de não ser vítima de crimes cibernéticos é acompanhar as orientações dos especialistas e saber as previsões de falhas de seguranças para empresas.  

1- Ataque cibernético por ransomware

De acordo com dados divulgados pela 99 Firms, 71% das violações em 2020 foram motivadas por questões financeiras. Ataques com objetivo de tirar dinheiro das empresas de alguma forma continuarão acontecendo com muita frequência em 2021.

Os ataques de ransomware, que consistem em manter o banco de dados das empresas como refém e pedir algum tipo de resgate em troca, como criptomoedas, é um tipo de crime que vai crescer neste ano. Um único arquivo malicioso baixado na rede pode causar danos graves para as finanças da empresa.

Por isso, os profissionais devem ser bem orientados e educados sobre como lidar com e-mails e arquivos de fontes desconhecidas ou duvidosas.

2- Ataques diversificados direcionados ao sistema financeiro

A terceirização de crimes na internet é uma realidade que impacta principalmente os sistemas financeiros. A busca por “hackers de aluguel”, que desenvolvem e aplicam golpes diversificados, é uma tendência em crescimento.

Os crimes não acontecem por um único meio e com um só objetivo. O vazamento de dados, por exemplo, em geral é causado pela ação de um criminoso que vai vender as informações na deepweb e não utilizá-las pessoalmente.

Por isso, o ataque a um sistema financeiro pode ser uma ação terceirizada, contratada por uma organização e aplicada por outra. Isso acaba dificultando que os responsáveis sejam encontrados e punidos. 

3- Identidades quebrando fronteiras

A fraude de identidade está entre os crimes que mais crescem nos Estados Unidos e a tendência é expandir para outros países. Nesse tipo de golpe, os fraudadores usam dados reais e falsos para criar um novo perfil de cliente e aplicar golpes financeiros. Os crimes são mais fáceis de serem aplicados online, na solicitação de cartões de crédito, abertura de contas digitais etc.

Especialistas alertam para o surgimento de células organizadas de recrutamento que vão tornar mais fácil a contratação de criminosos pelas empresas. Ou seja, fraudadores se passando por colaboradores para ter acesso a dados e informações valiosas.

Esse cenário vai exigir que as empresas invistam na validação de identidade por meio de fontes públicas e privadas, com acesso amplo a um histórico de informações consistentes. 

4- Falhas no gerenciamento de identidade

O crescimento dos golpes de identidade mostram que as empresas e organizações governamentais não estão preparadas para lidar com esse tipo de crime. O gerenciamento de identidade ainda é um desafio a ser enfrentado no mundo todo, principalmente na América Latina. 

Afinal, para que uma identidade seja criada com sucesso, é preciso ter um sistema falho, que não é capaz de gerenciar os dados dos cidadãos. 

De acordo com a McKinsey, o gerenciamento de identidade, a segurança de mensagens e a segurança de rede são os principais investimentos que as empresas devem fazer para garantir a segurança cibernética em 2021. 

5- Gerenciamento de fraude mais inteligente é a chave para vencer os fraudadores em 2021

A proteção contra fraudes deve ficar mais fácil para comerciantes de todos os tamanhos. À medida que mais empresas expandem sua presença online e aprimoram as experiências de compras personalizadas, elas precisam de melhores soluções para se proteger do risco de fraude e, ao mesmo tempo, aproveitar os benefícios do crescimento e da expansão do país.

A melhor solução de fraude com aprendizado de máquina, algoritmos sofisticados e modelos de fraude é inútil se for muito complicada para o proprietário de uma empresa. Usar controles de fraude, escrever regras e entender todo o quadro da fraude deve ser intuitivo e acessível para empresas de todos os tamanhos. 

Além disso, como as preferências de pagamento mudam, é essencial que as soluções de fraude abranjam uma variedade de tipos de métodos de pagamento - isso é fundamental na economia sem fronteiras de hoje.

Marketplace de APIs da GR1D é fundamental no combate à fraude

Neste cenário, empresas de todos os tamanhos e setores precisam, o quanto antes, investir em tecnologias dos mais diversos tipos para, enfim, fortalecer e assegurar o combate à fraude. 

Os metadados, por exemplo, podem ser utilizados para identificar informações de incidentes, como coordenadas GPS. Em paralelo, outras companhias exploram recursos como a análise de voz para prevenção de fraudes e o reconhecimento de fala para identificação e verificação de dados.

O uso de uma plataforma que ofereça os mais diversos tipos de APIs (Interfaces de Programação), como o marketplace da GR1D, também vale como uma ajuda valiosa. Disponibilizamos aplicações que podem facilitar a checagem de informações sobre os acidentes, impedindo a aplicação de golpes e bloqueando processos fraudulentos mesmo antes que eles possam ser concretizados.

Dentre as mais de 150 APIs disponíveis na plataforma, algumas delas permitem esse tipo de verificação. Conheça 6 exemplos abaixo! 
1- Facematch
A API Facematch é capaz de diminuir os riscos de fraude quando uma pessoa tenta se passar por outra. A comparação entre as fotografias de documentos como RG e CNH com aquelas tiradas no momento do cadastro permite à empresa confirmar se a pessoa é realmente quem afirma ser. 
2- BigID
A BigID é uma solução de reconhecimento facial por biometria que analisa mais de 300 pontos de referência, garantindo um resultado de qualidade mesmo com acessórios (óculos, brincos ou bonés), mudanças estéticas (barba e altura do cabelo) e diferença de idade. Comparando com outro arquivo - foto de documento ou de banco de dados, por exemplo - determina se há correspondência ou não. 
É ideal para qualquer empresa que queira oferecer uma solução de contratação online em que a verificação de uso indevido de documentos de terceiros seja necessária. 
3- Assinatura eletrônica
A API Assinatura Eletrônica envolve mais que tecnologia, contemplando também desenho de processos, atenção a aspectos jurídicos, segurança e usabilidade. Com esta API é possível enviar documentos, coletar suas assinaturas de forma 100% eletrônica e, após a finalização, é possível gerenciar o documento que fica armazenado de forma criptografada, com segurança. 
A assinatura eletrônica tem validade jurídica com segurança e confiança, além de facilitar o envio, aprovação e assinatura de documentos. 
4- Documento CNH
A solução de extração de dados por captura de imagem garante agilidade, segurança e redução de custo neste processo. Com ela é possível validar e cadastrar dados de documentos de forma rápida, simples e digital. 
A solução de OCR de CNH é útil para extrair todos os dados de uma imagem - uma fotografia feita com a câmera do celular, por exemplo - da Carteira Nacional de Habilitação. Com ela é possível automatizar o processo manual de digitação dos dados cadastrais do cliente. 
É ideal para empresas que buscam automatizar os processos de venda e cadastramento de clientes e garantir a segurança na validação de dados de pessoas por meio de apresentação de documentos.  
5- Extração de Dados (OCR)
A API de Captura de Imagens tem um processamento inteligente que identifica o documento, carrega os dados, a imagem e os qualifica consultando bancos de dados. Acelera processos de onboarding, gestão de riscos e vendas, por exemplo, ao tratar tanto imagens de documentos como pessoais (selfies). 
Baseada em tecnologia de Inteligência Artificial mostQI, apoia sistemas que envolvem recebimento de imagens para qualquer tipo de processo de negócio, como financiamento de casa própria ou veículos e abertura de contas, dentre outros. Realiza, em tempo real, a análise da qualidade das imagens, corrigindo o alinhamento e a perspectiva para uso no decorrer do processo e posterior armazenamento, extraindo as informações nelas contidas. 
As APIs de OCR são usadas para acelerar processos de cadastramento em que o cliente apresenta documentos pessoais necessários para processos de subscrição e avaliação de riscos, tais como comprovante de residência, registros profissionais, etc. Uma solução de OCR fotografa o documento e extrai todos os dados nele contidos para preencher um formulário ou usar os dados em algum processo. 
6- Documentos de identificação (OCR)
A solução escaneia e extrai dados de imagens de documentos impressos. O processo de OCR auxilia na confirmação da identidade de uma pessoa ou empresa realizando a extração automática das informações de uma foto ou de uma cópia digitalizada de documentos, tais como a CNH ou o RG. Com o uso da câmera do celular, por exemplo, a solução captura todos os dados de um documento e preenche formulários eletrônicos. 
Por meio dessa extração é possível obter os dados do cliente sem a necessidade de digitação e ainda confrontar os dados extraídos contra bases de referência, validando a integridade lógica dos documentos enviados. É usada para acelerar processos de vendas ou criação e alteração cadastral, evitando a necessidade de digitação de dados. 
Esta API é válida para qualquer organização que queira acelerar ou automatizar o processo de captura de dados do cliente ou usuário, eliminando trabalho manual e erros humanos. Assim, empresas de varejo, seguradoras, bancos, fintechs, e-commerce, operadoras de meios de pagamento, entre outras, são os usuários mais comuns. 

Quer conhecer outras possibilidades de aplicação da transformação digital no mercado de seguros? Continue acompanhando o Trends.