FinanceFintechsBiometria

Sistemas financeiros precisam superar a senha descartável

Walkman, videocassete e pagers. Essas são apenas algumas das tecnologias que revolucionaram o modo de lidar com o dia a dia e, no entanto, ficaram ultrapassadas. E o mesmo está acontecendo no momento dentro dos sistemas financeiros com a autenticação em duas etapas feita com senha descartável (OTP) via SMS.

Só que há um detalhe extra: também é necessário evoluir neste caso por uma questão de segurança, já que novas formas de crime também continuam a se desenvolver na internet. Para saber mais sobre esse desafio, vale a pena conferir este artigo. 

Entendendo as senhas de uso único

A autenticação em duas etapas, também conhecida como autenticação de dois fatores ou verificação em duas etapas, é um recurso bastante usado tanto no meio financeiro como em outros. 

Esse recurso dá ao usuário uma senha extra, exclusiva para cada acesso ao sistema, além daquela convencional habitualmente cadastrada no contato com a instituição bancária. Por exemplo, se o cliente de uma fintech deseja fazer uma movimentação e conta com a senha 012345, terá que digitar esta e outra adicional que receberá unicamente para a transação específica. 

Essas senhas únicas também são conhecidas como one-time password, OTP, senhas de uso único ou senhas descartáveis.

E muitas vezes é um dado adicional que chega ao cliente por meio de SMS em telefone celular. Isso deixa uma brecha de segurança relevante no procedimento, já que hackers podem tentar interceptar essa comunicação. Inclusive, a tentativa de crimes on-line cresceu consideravelmente no primeiro semestre de 2020. O que mostra evidencia que esses criminosos estão atentos a oportunidades. 

Por que esse procedimento continua a ser adotado?

Ao considerar uma nova tecnologia para o sistema financeiro é necessário levar em conta que o setor bancário é extremamente regulado. Por isso, qualquer mudança deve ser muito bem pensada e planejada.

Além disso, essas alterações costumam envolver grandes valores investidos, indisponibilidade temporária de serviços ao cliente e avaliação da facilidade de uso por parte dos consumidores. Para não afastar o público é preciso propiciar algo seguro, fácil de usar e que cause o mínimo impacto ao dia a dia na implementação.  

Outro ponto é que não são muitos os parceiros capacitados efetivamente para oferecer alternativas a serem adotadas. 

Hora de uma nova tecnologia para o sistema financeiro

Mesmo com todos esses desafios, é fundamental que players que desejam permanecer relevantes deem um passo extra na tecnologia em sistemas financeiros

As senhas de uso único estão ficando ultrapassadas e os clientes esperam que as instituições do segmento trabalhem em prol da segurança máxima de dados. E podem tender a procurar outras opções quando não atendidos, ainda mais em um setor que tem oferecido tantas opções após as chegadas das fintechs.

O bom é que existem alternativas inovadoras às senhas descartáveis. Confira algumas das principais:

Biometria

A biometria é uma das tecnologias de destaque quando se fala de permitir acesso a qualquer plataforma de modo seguro. Ela ajuda a fazer o reconhecimento da pessoa por voz, impressão digital ou reconhecimento facial. Um dos bancos que já adotou essa solução é o internet banking Daycoval, por exemplo. E o Bradesco também passou a disponibilizar, em caixas eletrônicos, o serviço de biometria em substituição a cartões com senhas rotativas.  

Identificação via múltiplos fatores

Uma técnica de identificação que pode ser aplicada é a identificação via múltiplos fatores, que combina possibilidades como um tipo de biometria, um dado fornecido pelas instituições financeiras (como um cartão) ou uma senha, por exemplo.  

Autenticação push

A autenticação push é um recurso interessante para lidar com o dia a dia das transações financeiras de modo interativo. Por exemplo, ela permite que o usuário receba notificação em celulares sobre movimentações suspeitas em conta e bloqueie a ação. Ou então estabeleça alertas para determinadas situações, como saldo baixo. 

Sistemas financeiros podem dispor de grande segurança com tecnologias como biometria, autenticação multifatores ou push, muito maior do que com a simples adoção de senhas descartáveis. E todas oferecem bastante praticidade ao usuário, contando com potencial para deixar o público ainda mais satisfeito. 

E essa aliança entre segurança e praticidade faz toda a diferença em um cenário extremamente competitivo. 

Saiba mais sobre biometria ao ler este post!