FinancePayments

Libra: o que esperar da nova moeda virtual do Facebook?

Você já conhece a Libra, a nova criptomoeda do Facebook? Com previsão de lançamento para este ano de 2020, a Libra teve sua implementação adiada, sem previsão de um novo prazo. 

Isso aconteceu por conta dos diversos obstáculos encontrados. Entre eles, estão restrições impostas por governos europeus pelo receio de mudanças no sistema financeiro mundial e a saída de parceiros estratégicos do projeto. 

Quer saber mais sobre a Libra e os desafios para sua implementação? Então, confira o post de hoje que vamos explicar tudo o que você precisa saber sobre o assunto!

O que é a Libra e a Libra Association?

A Libra é considerada uma stablecoin, um modelo de criptomoeda baseada em blockchain. Ela foi criada pela empresa suíça sem fins lucrativos Libra Association, que está desenvolvendo o projeto de moeda virtual em conjunto com algumas empresas. Entre elas, inclui-se o Facebook, o principal parceiro estratégico da organização. 

Com potencial para se tornar um sistema de pagamento global, a Libra teve seu lançamento anunciado pelo Facebook em junho do ano passado com previsões de estabelecimento para 2020. A empresa de Zuckerberg, inclusive, assumiu um papel de destaque na divulgação, na evolução e na implementação do projeto da nova criptomoeda ao lado da organização suíça. 

Na prática, a ideia é que a Libra fosse utilizada como alternativa a outros modelos de moedas digitais já existentes, como o bitcoin. Assim, ela poderia ser utilizada, por exemplo, em transferência financeiras e pagamentos variados, facilitando os processos. Além disso, o serviço financeiro seria descentralizado e deveria trazer segurança e escalabilidade para as operações. 

Mas, como dissemos, a implementação da nova criptomoeda vem sofrendo uma série de restrições que dificultam o lançamento oficial da Libra. A seguir, confira quais são os desafios a serem enfrentados! 

De sonho a pesadelo: os problemas que o Facebook está enfrentando 

Os principais obstáculos enfrentados pelo Facebook para lançar de vez a Libra no mercado e sobre os quais falaremos agora são: o posicionamento dos governos pelo mundo, a regulamentação na União Européia e a saída de importantes aliados da Libra Association. Não deixe de ler para entender melhor o assunto!

Posicionamento dos governos

A Libra despertou uma grande preocupação em governos como os da Alemanha, da França e da Bélgica. A explicação é que esses países acreditam que a Libra representa uma ameaça a suas soberanias monetárias e à estabilidade do sistema financeiro global existente hoje.  

Então, antes de ser lançada oficialmente, a Libra teria que atender a uma série de critérios para não representar um risco ao sistema financeiro já estabelecido. Apenas assim a autorização dos governos para a implementação do projeto poderia acontecer. 

Portanto, para que a Libra seja adotada globalmente, primeiro, ela precisaria ser regulamentada e supervisionada para não comprometer a segurança econômica mundial. 

Além disso, como o Facebook é a empresa que está mais em evidência no projeto, isso também pode afetar a posição dos governos. Afinal, a credibilidade do fundador da organização foi bastante danificada por conta da ameaça à privacidade dos dados dos usuários da rede. 

Regulamentação na União Europeia

Uma das barreiras a serem enfrentadas antes da criptomoeda ser posta em circulação é a União Europeia. A UE chegou a abrir investigações para analisar a conduta da Libra Association.

O bloco europeu quer regulamentar o uso da Libra também para não comprometer o sistema financeiro mundial e para garantir a segurança dos usuários e dos países.  

O desejo da UE é, portanto, pensar em uma legislação que dê conta de suportar o projeto de ponta a ponta, garantindo a privacidade e a proteção durante as operações financeiras. A ideia, então, seria unificar essa regulamentação para que ela seja compartilhada pelos países que adotarem a Libra

Saída de aliados da Libra Association

Outro grande desafio para o projeto do Facebook com a nova criptomoeda é a saída de parceiros estratégicos da Libra Association. No início, o projeto contava com 28 organizações, tendo a perspectiva de conquistar até 100 empresas para trabalharem em conjunto. 

No entanto, no ano passado, o Paypal, uma dessas organizações, anunciou o seu desligamento do projeto, embora ainda mantenha a parceria com o Facebook em outras frentes. Outros nomes de peso que inicialmente estavam cotados também saíram da aliança, como Visa, Mastercard, eBay e Mercado Pago.

Assim, a falta de apoio ao modelo da Libra acaba comprometendo a credibilidade do projeto, além de prejudicar o seu desenvolvimento e aumentar as incertezas em torno de seu lançamento. 

O que esperar da Libra para o futuro? 

De acordo com o CEO da Ripple, Brad Garlinghouse, a Libra não deve ser lançada até, pelo menos, o ano de 2023, por conta de todos os obstáculos enfrentados. As previsões ainda são bastante incertas e não é possível adivinhar qual será o destino da nova criptomoeda

De qualquer modo, o Facebook já se manifestou afirmando que o lançamento irá ocorrer, apesar de não haver um prazo definido. Além disso, o projeto deve sofrer alterações para se adaptar às exigências dos governos e garantir maior proteção de dados, além de segurança ao sistema financeiro

A criação de uma carteira virtual também foi pensada no projeto inicial, mas atualmente esse serviço foi deixado de lado por conta dos desafios encontrados.

É possível também que não haja uma aliança tão grande entre empresas parceiras no desenvolvimento da Libra. Mas, mesmo assim, a criptomoeda promete trazer maior popularidade para os modelos de moedas digitais. 

Quer ficar por dentro das novidades sobre tecnologia e a nova criptomoeda do mercado? Então, continue a ler o nosso blog para mais informações e posts relevantes!