Finance

Conheça 5 tendências em edge computing para 2021

Em 2021, a edge computing, ou computação de borda, atinge um ponto de inflexão. No ano passado, poucas novas tecnologias e desenvolvimento de negócios foram produzidos. Mas muitas tendências tecnológicas já em andamento foram aceleradas. A edge computing é uma das mais destacadas. 

Todo tipo de fornecedor de tecnologia - hardware, software e nuvem - saltou na onda da borda, lotando o mercado e confundindo os compradores. O que esperar em 2021? Aplicações práticas estão finalmente surgindo onde essa arquitetura pode trazer benefícios reais. Venha descobrir 5 tendências em edge computing lendo este texto.

O que é edge computing e que benefícios traz 

A edge computing, ou computação de borda, em tradução livre para o português, é considerada uma evolução natural do modelo cloud. Trata-se de um sistema formado por data centers menores que operam nos limites da rede, processando os dados de forma local e mais perto da fonte.

Com isso, é possível fazer um primeiro processamento muito mais rapidamente, passando menos dados para o data center principal, economizando banda de rede e distribuindo o processamento. Pode ainda ser implementado em várias camadas. Isto é, cada camada faz uma consolidação de dados, processa-os e passa para a próxima camada até chegar no data center principal.

A edge computing oferece um ganho significativo em termos de latência e de redução de custos associados ao envio dos dados ao processamento nos mini datacenters, desonerando o data center central em razão do alto volume de dados e transações. Além disso, um fator importante diz respeito à segurança. Como a edge computing processa os dados próximo à sua origem, não há mais necessidade de transferir os conjuntos de informações para a nuvem pública, o que elimina os riscos de segurança envolvidos nos canais de transferência.

Ou seja, a edge computing ajudará a oferecer novos produtos, baseados em inteligência artificial, machine learning e IoT, com mais interatividade, conectividade, rapidez e robustez.

Tendências de edge computing para 2021

Finalmente, estão surgindo aplicações práticas por meio desta arquitetura, que pode trazer benefícios reais. Segundo a Forrester, as previsões incluem os seguintes desenvolvimentos-chave na computação de borda que mostram esse ponto de inflexão em 2021:

1. Os mercados de data centers surgirão como uma nova opção de hospedagem de borda

Independentemente de sua própria definição, a tecnologia de edge computing precisa ficar o mais próximo possível da ação. Em alguns casos, pode estar em um data center fora do local, mas ainda assim deve estar o mais próximo da ação possível.

Isso exclui muitos dos grandes centros de dados administrados por provedores de nuvem ou serviços de colocalização próximos dos principais centros populacionais. Se sua empresa é altamente distribuída, esses centros são muito longe.

Surge uma nova opção promissora que une data centers menores e mais locais em um modelo de mercado cooperativo. Novos agregadores de data center permitem que você pense globalmente e aja localmente.

Eles não substituem necessariamente a nuvem pública, redes de entrega de conteúdo ou serviços tradicionais de colocalização, mas provavelmente melhorarão esses serviços. Esses marketplaces já estavam em ascensão em 2020, mas se tornarão um modelo viável para a edge computing em 2021.

2. O 5G privado vai empurrar as empresas para a borda

A edge computing com 5G cria ótimas oportunidades em todos os mercados. Ela traz a computação e o armazenamento de dados para mais perto de sua geração, permitindo melhor controle de dados, redução de custos, insights e ações mais rápidas e operações contínuas. De fato, até 2025, 75% dos dados corporativos serão processados na borda, em comparação com apenas 10% hoje.

A tecnologia 5G é superior em muitas maneiras às opções de rede existentes. O 5G público das operadoras está realmente chegando e vai transformar a forma como fazemos muitas coisas, mas levará tempo para alcançar a adoção generalizada. 

A Forrester vê valor imediato no 5G privado — uma rede dedicada a um negócio específico ou local, como uma fábrica ou um banco. A infraestrutura de negócios, que atuam com a Internet das Coisas, precisam de redes locais de processamento e baixa latência. 

Por isso, a edge computing e a rede 5G serão muito importantes para os serviços. A inflexão para o 5G será agora em 2021, mas será privado, não público.

3. Novos fornecedores de borda reduzirão cinco pontos do crescimento da nuvem pública 

Os serviços de nuvem continuam a crescer exponencialmente. A crise impulsionou as receitas em nuvem acima do esperado em 2020. Essa corrida continuará em 2021, mas o crescimento da edge computing será mais moderado.

À medida que a edge computing se torne uma nova plataforma benéfica para computação empresarial, ela desviará parte do dinheiro que de outra forma teria ido para a expansão da nuvem.

4.  A edge computing encontra mais Inteligência Artificial e Machine Learning

Até recentemente, o pré-processamento de dados por meio de tecnologias de ponta ou gateways tinha sua parcela de desafios devido à maior complexidade das soluções de dados, principalmente em casos de uso com um alto volume de eventos ou conectividade limitada

Agora, com hardware otimizado para Inteligência Artificial e Machine Learning, aplicativos analíticos empacotados em contêineres, estruturas como TensorFlow Lite e tinyML e padrões abertos como Open Neural Network Exchange (ONNX) estão incentivando a interoperabilidade de aprendizado de máquina e tornando realidade o aprendizado de máquina no dispositivo e análise de dados na borda.

O aprendizado de máquina na ponta permitirá uma tomada de decisão mais rápida. Além disso, o amálgama de borda e IA impulsionará ainda mais a personalização em tempo real.

5. A computação de borda melhora a segurança dos dados

A eficiência dos dados é melhorada na edge computing em comparação à nuvem, reduzindo os custos da Internet e de dados. A camada adicional de segurança na borda aprimora a experiência do usuário. A edge computing também não depende de um único ponto de aplicativo ou armazenamento. Em vez disso, distribui processos em uma vasta gama de dispositivos.

À medida que as organizações adotam o DevSecOps e adotam uma abordagem de "design para segurança", a borda está se tornando uma consideração importante para o Chief Security Officer (CSO) permitir soluções seguras baseadas em nuvem. 

Isso é fundamental quando as arquiteturas de nuvem sozinhas podem não fornecer resiliência ou segurança inerente suficiente para garantir a continuidade dos serviços exigidos por soluções autônomas, por experiências de realidade virtual ou aumentada, ou processamento de transações de big data.

 Embora seus benefícios variem, sua empresa provavelmente levará os negócios à edge computing em 2021. É um mercado novo e aplicações sérias estão apenas começando a se materializar. Para saber mais sobre o assunto, continue acompanhando o Trends.