Finance

5 estratégias que podem beneficiar os seguros no pós-pandemia

A avalanche Covid-19 foi iniciada de uma hora para outra, soterrando a economia, a sociedade e grande parte dos negócios ao redor do mundo. Setores que já tinham projetos de transformação digital iniciados, como aconteceu com o ecossistema de seguros, conseguiram sobreviver com abalos menores.  

As seguradoras como um todo foram capazes de olhar o cenário de pandemia como momento de acelerar a digitalização dos negócios e construir um ‘novo normal’ tecnológico, simplificado, eficiente e seguro. Mas apesar de toda esta resiliência, os prejuízos foram grandes e é preciso criar novas estratégias de curto e longo prazo direcionadas para o pós-pandemia.

A seguir, vamos mostrar dados do impacto da pandemia nas seguradoras e quais ações precisam ser implementadas agora para que os prejuízos sejam diminuídos e os negócios permaneçam relevantes e íntegros nos próximos anos.   

Impactos da pandemia no ecossistema de seguros

Apesar de o setor ter conseguido se manter em pé e atuante mesmo com todas as medidas de contenção do vírus e retração econômica, os prejuízos foram grandes. 

De acordo com esta publicação da revista Segurador Brasil, “o setor nacional de seguros movimenta anualmente mais de R$ 470 bilhões e possui ativos na ordem de R$ 1,2 trilhão”. Além disso, nos primeiros meses pré-pandemia, o setor viveu um crescimento histórico. Ou seja, todos estes valores extras que já vinham sendo poupados foram suficientes para manter os negócios ativos e estáveis durante alguns meses apesar de todos os desafios impostos pela crise.  

A mesma publicação ainda apontou os impactos financeiros registrados nos primeiros meses de pandemia, “Para o conjunto das seguradoras, o resultado financeiro, de R$ 1,5 bilhão no primeiro trimestre, encolheu 49,4% em relação ao mesmo período de 2019, levando o lucro líquido a R$ 1 bilhão, 50,1% menor na comparação de igual período”. 

Estes valores comprovam que, ainda que resiliente, o ecossistema de seguros teve uma grande diminuição da aquisição de lucro. Mais de um ano após o início da pandemia e sem grandes vislumbres de melhora da crise a curto prazo, é preciso agir para que os prejuízos não se tornem desastrosos.

Entenda agora de que forma a transformação digital continuará tendo um papel fundamental no ‘novo normal’.

Impulsionamento da transformação digital

A recuperação da crise causada pela pandemia do novo coronavírus será baseada em estratégias de longo prazo. Isso quer dizer que poupar investimentos de digitalização dos negócios como estratégia para dirimir os prejuízos atuais pode causar um efeito contrário ao esperado.

Segundo o relatório Seguros além da crise: cinco prioridades estratégicas para seguradoras em um mundo pós-Covid-19 da PwC, alguns fatores continuam atrasando a transformação digital das seguradoras. São eles:

O relatório diz que é hora de aproveitar a aceleração da transformação digital para potencializar as vendas digitais, melhorar a experiência do cliente e automatizar processos burocráticos e manuais como os de subscrição de apólices e sinistros, por exemplo. Além disso, mais do que nunca, é hora de investir em segurança da informação e migrar todos os processos para a nuvem. 

O relatório ainda diz que as seguradoras que investem nestas mudanças agora irão colher benefícios como agilidade organizacional, eficiência de custos, produtividade e simplificação dos negócios nos próximos anos.   

A busca pela inovação em produtos e serviços continua em alta

A pandemia fez com que a mudança do mindset processual para o digital acontecesse de uma hora para outra e de modo definitivo. 

Como exemplos desta mudança de comportamento da sociedade, podemos citar o aumento do uso das plataformas de streaming e a rápida adoção de meios de pagamento digitais e transações bancárias on-line. Ou seja, o futuro do ecossistema de seguros deve reimaginar o setor pensando na criação de novos produtos e serviços que correspondam às expectativas dos novos clientes digitais. Esta também é a melhor forma de encontrar novas oportunidades de geração de receita.

Segundo o relatório da PwC, a expansão para novos mercados e nichos é uma estratégia eficiente e pode englobar novas necessidades que foram potencializadas durante a pandemia, como:

A importância de manter o foco em gestão e produtividade

Os desafios relacionados à produtividade não foram iniciados na pandemia, assim como não serão encerrados com o seu fim. Este é um problema que sempre permeou organizações de todos os tipos e que pode ser melhorado com a digitalização dos negócios. 

A própria implementação apressada do home office mostrou a quanto a transformação digital tem sido fundamental para sobreviver às instabilidades que surgem.  

Neste momento, líderes e gestores podem aproveitar esta necessidade de investimento em ferramentas digitais e tecnologia para impulsionar ainda mais as mudanças estruturais e aumentar a produtividade do negócio como um todo. 

Para isso, algumas ações tornam-se necessárias, entre elas:

  • Definição de um plano de orçamentos e custos criada a partir das necessidades de cada modelo operacional;
  • Promoção de melhorias de produtividade com foco na redução de custos e projetos de transformação digital;
  • Reavaliação dos gastos gerais para direcionar mais dinheiro à tecnologia;
  • Criação de uma cultura que valorize a melhoria contínua de custos e produtividade.

Mudança no gerenciamento de capital

Alguns impactos econômicos atuais podem influenciar o gerenciamento do capital no futuro. O relatório da PwC cita alguns fatores, como juros mais baixos, volatilidade do mercado e altas taxas de inadimplência, entre outros. Ou seja, pode ser muito positivo para os próximos anos que os líderes visualizem estratégias com foco na recuperação da crise.  

Entre as ações citadas pelo relatório, estão:

  • Avaliação de desenho e valores de produtos, principalmente daqueles com maior retorno financeiro;
  • Avaliação de portfólio de investimentos, estratégias de macro e micro hedge, novas opções de alocação de ativos e possível alteração de perfil de risco de passivo;
  • Fusões e aquisições. 

Como a Wiz aproveitou a pandemia para melhorar seus negócios

Com o início da pandemia, a Wiz Soluções, gestora de canais de distribuição de produtos financeiros e seguros, decidiu investir em alternativas de redução de custos em todas as suas unidades. Além disso, implementou estratégias como a criação de produtos com potencial de geração de receitas a longo prazo, assim como de outros serviços, gratuitos e pagos, para suprir as necessidades atuais da sociedade e dos colaboradores, englobando telemedicina, programas de bem-estar e flexibilização de benefícios. 

Desta forma, a empresa não apenas criou novas formas de gerar receitas como conseguiu se manter próxima dos clientes e ainda contribuir com a sociedade e também com sua força de trabalho.

Continue lendo o blog!