FinancePayments

4 principais tendências em pagamentos para 2021

Foram muitas as mudanças que o mundo viveu e continua vivendo em tão pouco tempo. Consumidores mais exigentes e menos propensos a gastos, tecnologia a todo vapor, concorrência maior a cada dia… 

Estas e muitas outras transformações acabam afetando diretamente os negócios, e o ecossistema de pagamentos não fica de fora. Nós mal nos acostumamos com os pagamentos por aproximação e tantas outras tendências já estão aparecendo.

A Capgemini produziu o conteúdo Top Trends in Payments: 2021 para ajudar o público a entender melhor o que esperar quando os pagamentos são o assunto. E nós vamos discutir os melhores insights a seguir. Confira! 

As principais tendências relacionadas a pagamentos para 2021

É bem provável que, num futuro próximo, nós tenhamos de nos habituar às 4 tendências que abordaremos agora. E vale lembrar que, neste mundo em constante transformação, apenas quem se agarrar à tecnologia e tirar o máximo potencial delas é que conseguirá sobreviver e sobressair dentre as empresas antigas e novos players do mercado.

PAAS - Pagamentos como um serviço 

Quase 68% dos executivos de pagamentos acreditam que correm um risco significativo de perder clientes e mercados em potencial se não priorizarem a transformação da tecnologia.

Como alternativa, o ecossistema financeiro está terceirizando suas operações e plataformas de pagamentos para impulsionar a inovação digital e permanecer relevante em um ambiente competitivo. 

Neste cenário, a PaaS funciona como um ambiente nativo da nuvem com um conjunto de serviços de pagamento individuais configurados e entregues aos usuários finais. Isso acaba reduzindo significativamente o cronograma e o orçamento de implementação e tornando toda a modernização do setor mais fácil e rápida.

Entre os benefícios desta tendência, podemos citar o amplo suporte às atualizações da infraestrutura de pagamento legada e a consequente melhora da experiência do cliente (CX).

Super aplicativos

Os super aplicativos são um ecossistema que reúne diversos aplicativos diferentes para que os usuários não precisem acessar ambientes diferentes todos os dias. No caso do setor financeiro, a tendência dos super aplicativos integra funções sociais, financeiras, de serviços públicos e de entretenimento.

Entre os benefícios desta tendência, podemos citar o fácil acesso a uma variedade de produtos e opções de pagamento convenientes, o que acaba estimulando a adoção da carteira digital, que é uma excelente forma de aumentar a proximidade com o cliente. 

Além disso, de acordo com o relatório da Capgemini, quase 70% dos executivos das empresas de pagamentos dizem que estariam interessados ​​em investir em aplicativos móveis e carteiras digitais, mesmo após o fim da crise. Esta informação também demonstra que a tendência de desenvolver super aplicativos pode aumentar ainda mais, e bem rápido. 

Identificação Digital (ID Digital)

Segundo o relatório da Capgemini, conquistar clientes é a ação mais difícil entre os varejistas, e oferecer um ambiente de pagamentos integrado pode reduzir o abandono do carrinho de compras. 

Neste cenário, a incorporação de ID digital em soluções de pagamento está se tornando mais necessária a cada dia, pois os clientes esperam menos pontos de contato e integração instantânea de dados por meio de seus dispositivos móveis ou de IoT. 

Além disso, implementando ID digital por meio da identidade do cliente e do CIAM (Gerenciamento de Acesso à Identidade do Consumidor), varejistas e comerciantes podem conduzir ofertas hiper personalizadas.

Em relação aos benefícios desta estratégia, estão a redução do abandono do carrinho de compras e CX aprimorado. Além disso, a combinação de identidade digital, mobilidade e analytics pode gerar insights para oferecer serviços de valor agregado e melhorar o envolvimento do cliente.

Big Techs

As famosas BigTechs têm olhado para o ecossistema de pagamentos como uma nova oportunidade para grandes mercados, como Índia e Brasil, e estão expandindo seus serviços com carteiras e aplicativos de pagamento baseados em mensagens.

O diferencial destas experts da tecnologia é que, com estratégias de User Experience superiores e a grande capacidade de processar dados de clientes, as BigTechs são capazes de lançar novos produtos e bem rápido. Principalmente se formos analisar suas iniciativas em formar parcerias com bancos e instituições financeiras tradicionais. 

A Samsung, por exemplo, criou o Samsung Money, um banco digital com gerenciamento de dinheiro sem taxas e cartão de débito MasterCard. Já o Google está oferecendo contas correntes pessoais por meio do Google Pay, em parceria com o Citi e Stanford Federal. Enquanto isso, a Goldman Sachs se associou à Apple em um cartão de crédito e a JPMorgan Chase está trabalhando com a Amazon, Lyft e Airbnb para oferecer produtos de marcas compartilhadas

Embora as BigTechs tenham escala e tamanho para expandir o alcance e ultrapassar a concorrência com facilidade, outras tendências da indústria estão alterando a dinâmica geral do mercado. 

O fato é que, no cenário atual, a transformação digital já deixou de ser uma estratégia de sobrevivência. Apenas digitalizar os negócios não é mais suficiente, é necessário ser inovador e utilizar o potencial das novas tecnologias para ir além e oferecer exatamente o que os clientes querem. E um marketplace de APIs pode ser uma grande porta de entrada para conquistar agilidade nestas mudanças.

Como um marketplace de APIs pode ajudar as instituições financeiras? 

Não é novidade que as APIs são a porta de entrada para a modernização do setor financeiro, não é mesmo? Apenas uma estratégia em APIs consistente é capaz de permitir iniciativas digitais rápidas e inovadoras.  

Aqui nos Trends da GR1D nós abordamos este assunto incontáveis vezes. Contudo, para facilitar o entendimento de quem está entrando no assunto agora, as APIs são ferramentas que permitem a comunicação entre aplicativos de participantes do ecossistema financeiro e outros setores, como serviços comuns de um banco, informações financeiras, contas de clientes, catálogos de produtos, entre outros.   

Nesta transformação da indústria de pagamentos, ter acesso a um marketplace de APIS, em que aplicações seguras e completas estão disponíveis, evita a perda de dinheiro e tempo que seriam gastos no desenvolvimento de aplicações próprias.

O marketplace de APIs da GR1D oferece não apenas soluções digitais, mas também diferenciais como segurança, documentação completa, suporte on-line e acompanhamento de performance.

Entre as APIs que estão disponíveis no marketplace, vamos citar as 3 melhores agora:

PayMee   

A API PayMee foi criada para beneficiar e-commerces, fintechs e empresas que precisam de pagamentos rápidos, principalmente aquelas que lidam com a população desbancarizada.

Seu funcionamento é bastante simples e rápido: basta escolher o ponto de pagamento entre alguns bancos tradicionais, captar o código de 7 dígitos que a API oferece e apresentá-lo no caixa do banco correspondente para realizar o pagamento. 

Juno

A API Juno é destinada para:

  • Receber pagamentos on-line por boleto bancário ou cartão de crédito com CPF, sem precisar de conta jurídica; 
  • Efetuar pagamento profissional para pessoas físicas. 

Ela é a escolha perfeita para MEIs, e-commerces, marketplaces e pessoas físicas que querem profissionalizar seus negócios e ainda ter uma garantia de proteção contra fraudes e calotes. 

PagMax 

A API PagMax oferece uma grande variedade de meios de pagamento para aplicações on-line ou presenciais. Além disso, ainda permite o gerenciamento de inúmeros serviços financeiros, como parcelamentos, antecipações, agendamentos, programação de pagamentos recorrentes, entre outros. 

Quem adquire esta API, consegue:

  • Receber pagamentos on-line no site, app ou rede social;
  • Vender e receber pagamentos com cartões de débito e crédito.


Assim como estas APIs citadas acima, o marketplace da GR1D tem muitas outras que podem ser excelentes para ajudar na inovação da sua empresa! Clique aqui para acessá-lo e conheça todas as APIs disponíveis!